Quarta, 12 Agosto 2020 14:58

Expostos ao coronavírus, garis trabalham com precaução: "Tem muito lixo contaminado".

Escrito por

Serviço prestado pelos trabalhadores da coleta de lixo (coleta urbana, hospitalar e varredura) se torna ainda mais essencial em meio ao combate à covid 19.

Enquanto parcela do país está em quarentena, ainda que com reabertura parcial das atividades econômicas por todo o país, os garis, trabalhadores de atividades essenciais, não podem paralisar seus serviços em meio à pandemia da covid-19. Esses profissionais, todos os dias, enfrentam nas ruas os riscos da doença para que a população tenha uma cidade limpa com menor possibilidade de contrair o vírus.

Os trabalhadores da categoria enfrentam uma situação delicada, já que acabam sendo mais expostos ao vírus neste momento. Seja por estarem nas ruas ou por trabalharem diretamente com a coleta de lixo nos municípios.

Em tom preocupado, alguns garis da COMLURB afirmam que a solução para driblar os riscos da Pandemia é redobrar os cuidados com a higiene e com a proteção: Agora, as máscaras e o álcool gel acompanham as luvas, botas e os uniformes usados devem ser lavados todos os dias.

“Estamos trabalhando sim, mas com precaução. A população na rua tem sido solidária com os trabalhadores da nossa categoria. Dá máscara e tudo, dá apoio moral. Mas tá difícil. Muito. Vamos pra rua, deixamos nossa família em casa e voltamos daquele jeito...”, desabafa um deles que preferiu não ser identificado.

Mas a diretoria do Sindicato da categoria quer saber da COMLURB o que pode ser feito para ajudar os parentes dos garis que contraíram o Coronavírus? O que se pode fazer para ajudar essa família?

“Nós queremos saber se juntos, empresa e trabalhador, podemos chegar a um consenso de como ajudar também os parentes dos funcionários que foram infectados pelo vírus. Isso é de suma importância para todo mundo. Se o trabalhador não pegou a doença, mas um parente contraiu, ele corre riscos. Então, seria bom encontrarmos uma forma de ajudar essas pessoas, esses parentes, pois estamos na linha de frente, lidando diretamente com lixo, material contaminado. Por isso, a nossa presença com saúde é de suma importância nesse momento”, ressalta Olímpio Barroso, diretor Siemaco-Rio responsável pelo setor de Saúde e Segurança do trabalhador.

Estatística da Covid-19 nos quadros da COMLURB

A Companhia de Limpeza Urbana já contabiliza, até agora, 147 garis infectados, e 22 mortes confirmadas. Destas, cinco entre os empregados ativos e 17 entre aqueles afastados do trabalho. Segundo a própria empresa pública, os casos de óbitos de funcionários afastados não guardam qualquer relação com o serviço prestado justamente porque já se encontravam em quarentena quando apresentaram os sintomas.

“É muito difícil para nossos trabalhadores enfrentar o dia a dia com a ameaça de morte no ambiente em que desempenham sua função. E essa função é o que garante certa diminuição de risco para a população. Exercemos um trabalho preponderante no combate a Pandemia, já que a limpeza e higienização das ruas e logradouros são de suma importância para eliminar o vírus na Cidade do Rio de Janeiro”, afirmou Olímpio Barroso, coordenador da pasta de Saúde e Segurança do Trabalho Siemaco-Rio, Sindicato que representa a categoria.