Sábado, 11 Novembro 2017 13:40

Siemaco-Rio presente no dia nacional de protestos contra as reformas trabalhista e da previdência

Escrito por Siemaco-Rio

DSC 0003

Antonio Carlos e Gilberto César - Presidente e Vice-Presidente do Siemaco-Rio, comparecem aos protestos do dia 10/11/17

Com o povo na rua podemos reverter esse jogo

O Siemaco-Rio marcou presença na manifestação do Dia Nacional de Protestos, que aconteceu na última sexta-feira (10/11). O movimento, convocado pela UGT (União Geral dos Trabalhadores) e por todas as centrais sindicais, foi em protesto contra as reformas impostas pelo Governo Temer como a "deforma trabalhista" e as anunciadas mudanças na Previdência Social, também lesivas aos trabalhadores. Nosso Sindicato esteve presente com a Diretoria, funcionários e integrantes da categoria. O presidente do nosso sindicato, Antonio Carlos, o vice-presidente, Gilberto Alencar, e os diretores Olímpio e Celina encabeçaram nossa delegação ao ato público no Centro do Rio.

O protesto teve início com a concentração na Candelária, de onde os manifestantes seguiram pela Avenida Rio Branco até a Cinelândia. Dirigentes sindicais, trabalhadores e representantes de movimentos sociais carregaram bandeiras e faixas, acompanhados de carros de som e balões coloridos. Entoando palavras de ordens, pediram, entre outras reivindicações, a revogação da "Reforma Trabalhista", aprovada em julho pelo Congresso Nacional e que entrou em vigor neste sábado (11/11).

- Nós do Siemaco-Rio somos contra qualquer retrocesso à classe trabalhadora que venha a diminuir direitos. Por isso estamos unidos participando de uma manifestação como esta, que é contra a retirada de direitos conquistados com muita luta pelos trabalhadores. A reforma trabalhista, já aprovada, e a reforma da Previdência, que neste momento o Governo se empenha em aprovar, são nocivas aos trabalhadores – desabafou o presidente do Siemaco-Rio, Antonio Carlos.

Nossa diretora Celina Gonçalves subiu ao carro-de-som da passeata e não deixou por menos:

- Este país é forte. É esta política que vigora neste momento que é uma política de destruição. Contudo, nós trabalhadoras e trabalhadores é que construímos este país e temos condição de reconstruir. Juntos somos mais fortes!  - concluiu Celina Gonçalves, 2ª Secretária do Siemaco-Rio.